Sobre a Ditadura da Magreza…

Senta que lá vem textão!!

Essa semana a Anne Hathaway postou uma foto no Instagram com um desabafo sobre a pressão para emagrecer, principalmente após a gravidez.

E isso me fez refletir sobre o tanto que a nossa sociedade ainda valoriza a magreza, o corpo perfeito, a barriga trincada, o manequim 36… Mesmo com campanhas como a da Dove investindo pesado em quebrar esse padrão…

O que ninguém te conta é que ser magra não é tão bom assim…

Calma que eu vou me explicar!

Sempre fui muito magra e a vida inteira ouvi comentários como “você não come nada né?” ou “tudo que você veste fica bem”. Com o tempo eu aprendi a não ouvir de fato esses comentários, apenas sorrio e concordo, porque muitas vezes não vale o esforço explicar a realidade.

Mas hoje vou contar!

Primeiro, eu como e muito!!!! O tempo inteiro na verdade… Meu metabolismo é rápido e se eu pular uma refeição que seja, a calça certinha já fica meio solta… Todo e qualquer médico que eu vou me olha e depois de perguntar se eu como bem já pede exame da tireoide… (graças a Deus nunca deu nada alterado)

Segundo, nem tudo que eu visto fica bem. Comprar calças só ficou menos difícil depois que eu descobri a Forever21. Já comprei calças na sessão infantil, porque muitas lojas trabalham com a grade a partir do 36, e meu número é 34 ou 32, depende da loja. Esse é outro ponto que quem é magra como eu vai entender, a grade de tamanho das lojas não é padronizado (alô Inmetro!!!). É gritante a diferença entre os tamanhos de várias lojas de departamentos diferentes.

Eu sou daquelas que quando compram uma roupa já querem usar. Experimentar uma roupa e comprar mesmo sabendo que precisarei ajustar só se rolar muito amor pela peça. Tem lojas que eu nem presto mais atenção às vitrines pelo simples fato de saber que o menor tamanho deles ainda é grande para mim.

Hoje eu já entendi que minha constituição física não vai ser muito diferente do que é hoje, aprendi as lojas que eu consigo comprar, já desisti de fazer dietas malucas ou tomar suplementos. Me aceitei assim e vou vivendo feliz assim!

Esse post não é para de forma alguma dizer que as pessoas não devem buscar um padrão de vida mais saudável, isso é fundamental. O que eu quero dizer aqui é que muitas pessoas almejam o padrão 36 simplesmente pelo padrão 36 e nem sempre isso é o melhor. Cada um tem um padrão de corpo… Algumas pessoas nunca vão se encaixar no padrão 36, muitas vezes por questões biológicas que estão fora de controle.

Meu intuito com esse post é mostrar que o padrão 36 não é tão glamouroso assim e mais importante, promover a auto-aceitação e o amor próprio.

Se sentir bonita é o primeiro passo para os outros te acharem bonita!

Pelo fim da ditadura de um padrão único de beleza!

Beijos,

assinatura 2

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s